R.Demétrio Ribeiro, 1094, Sala13 - Centro Histórico, Porto Alegre - RS, 90010-313
  • (51) 4042-3991

O que fazer com o seu 13º salário

DATA: 02/12/2019

O que fazer com o seu 13º salário

O 13º salário é um dinheiro extra, garantido por lei, que todo trabalhador com carteira assinada recebe todos os anos. O valor equivale a um salário líquido que pode ser dividido em duas parcelas.

A primeira parcela deve ser paga no último dia útil do mês de novembro, que caiu na última sexta-feira, 28. Já a segunda deve ser paga até dia 20 de dezembro.

Vale lembrar que na segunda parcela são descontados o Imposto de Renda e a contribuição obrigatória para a aposentadoria.

Além disso, quem já recebeu férias esse ano ou já solicitou o adiantamento da primeira parcela do 13º, só tem direito a receber a segunda parcela do salário, já com os descontos.

Quitar dívidas

Segundo uma pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), 87% dos brasileiros pretendem usar o 13º salário para quitar dívidas.

Contudo, nem sempre utilizar o décimo terceiro para quitar dívidas pode não ser uma boa opção, por exemplo, nos casos de quitar dívidas de financiamentos a longo prazo. Se a parcela estiver equilibrada com o orçamento mensal do trabalhador, abater parte do financiamento pode não fazer tanta diferença quando ainda há um valor alto à quitar.

Agora, se for uma dívida imediata e com juros mais altos, como cheque especial ou se o trabalhador estiver inadimplente, aí sim é melhor aproveitar o 13º salário para quitar os atrasos. Vale lembrar que, neste caso, é muito importante fazer uma renegociação de dívida. Dessa forma, dá pra conseguir mais prazo pra pagar e até descontos.

Despesas de início de ano

Dois por cento dos entrevistados pretendem usar o dinheiro para pagar as despesas de começo de ano. Entre os gastos mais citados pelos entrevistados estão IPTU, IPVA e até matrícula e material escolar para quem tem filhos.

O baixo número se deve porque na maioria das vezes muitas das despesas acabam sendo ignoradas no final de ano. Fato que pode gerar novas dívidas em pleno início de ano.

Por isso, é importante criar uma organização junto a um plano financeiro. Tudo tem que ser estudado e bem conversado para chegar em uma decisão.

Muita gente diz que se você tem dívidas, use o 13º para para pagar. Ma snão é com toda dívida que vale a pena gastar esse dinheiro.

Compras de viagens e presentes

Se o orçamento da família toda estiver organizado é válido pensar em usar o 13º em um agrado como um presente ou uma viagem.

E é por isso que parte dos entrevistados também pretende utilizar o décimo terceiro salário para comprar presentes. A época é a mais esperada pelo comércio.

Antes de comprar, contudo, é importante traçar um planejamento de gastos e considerar o quanto pode pagar sem se endividar, considerando o 13º salário.

Investir 13º salário

Caso as finanças fiquem em ordem com o dinheiro extra, é possível até mesmo investir o 13º salário. Para isso, a tolerância a risco e o tempo que o trabalhador pretende ficar sem mexer no dinheiro são questões que precisam ser muito bem analisadas.

Investimento a curto prazo

Se o trabalhador quer investir a um curto prazo, é interessante investir em uma caderneta de poupança, que é um tipo de conta bancária que você pode abrir para guardar seu dinheiro e ainda ganhar um percentual sobre o valor aplicado.

Dessa maneira, funciona como um investimento. Por conta da sua praticidade e liquidez, esse tipo de aplicação se tornou muito popular entre os brasileiros.

Investimento a Longo Prazo

Agora, se o trabalhador é conservador, mas prevê um investimento a longo prazo, é possível investir em títulos do Governo como o Tesouro Direto.

Ele funciona como um empréstimo. Dessa forma, você investe o seu dinheiro e o recebe acrescido de juros na data de vencimento que foi definida no momento da compra. Aliás, tem uma rentabilidade superior à poupança.

Investimentos conservadores

Se você está começando a guardar dinheiro, antes de começar a investir a longo prazo, é importante guardar uma reserva de dinheiro.

Isso significa colocar investimento em algum rendimento com liquidez, ou seja, que você consiga sacar esse dinheiro rápido e sem penalidades, como a poupança.

É um dinheiro que pode cobrir algum gasto que você possa vir a ter ou cobrir algum buraco no orçamento se você errar no planejamento.

Alguns especialistas dizem que essa reserva deve ser suficiente para cobrir 3 meses de despesas. Outros, já falam em seis meses. O importante é pensar em ter um dinheiro disponível para supostas necessidades.

Investimentos de risco

A Bolsa de Valores é ideal para investidores que tem um perfil de risco, ou seja, estão dispostos a perder dinheiro tentando ganhar mais. É um ambiente de negociação onde empresas de capital aberto listam seus ativos e investidores podem comprar ou vender tais ativos entre eles.

Contudo, como há custos para operar, mesmo que sejam baratos, comprar uma pequena quantia de ação pode não compensar. A não ser que você tenha um plano de investimento na Bolsa de Valores de longo prazo e faça compras regulares a fim de montar uma carteira de ações.

Compartilhar: